Blog do Dr. André Mansur

O Show de Truman (The Truman Show)

Escrito por Patricia Sales em 27 de junho de 2017

o-show-de-truman-the-truman-show

Eis aqui um filme de 1998, que vale a pena assistir e que merece reflexão. Truman Burbank (Jim Carrey) é um homem normal, que tem uma família normal, uma vida tranquila e vive feliz, na pacata Seahaven. Entretanto, coisas estranhas ocorrem à sua volta e ele fica intrigado. Volta e meia, algum objeto cai do céu. O que pode estar ocorrendo? Mesmo assim, Truman segue em sua vida de classe média, sem desconfiar do mais importante.

Ocorre que a vida de Truman Burbank é uma mentira. Ele faz parte, sem saber, de um gigantesco reality show, transmitido via satélite para milhões de pessoas, 24 horas por dia, sete dias por semana. Ele não sabe – embora pressinta algo estranho ao seu redor – que a sua vida é falsa. Seus pais não são seus, sua esposa não é sua, seu amigo não é seu e nada que possui faz realmente parte de sua vida real. Os objetos que caem do céu sobre Truman integram o gigantesco cenário criado para o reality show, de cujas partes mais elevadas, de vez em quando, se desprendem algumas peças.

Assim, o mundo de Truman não passa de uma cidade cinematográfica e de um elenco cuidadosamente escolhido. A personagem é seguida, a cada passo, pelas câmeras e por milhões de pessoas e impedida de exercer seu livre arbítrio. Quando Truman se alegra, milhões se alegram com ele. Quando ele sofre, o mesmo acontece. Naturalmente, o merchandising não poderia ser esquecido e a suposta esposa de Truman – uma atriz contratada – o faz com certa dose de humor.

Em determinado momento, Truman se apaixona por uma jovem inserida na história e esta é retirada de cena, ao ameaçar dizer-lhe a verdade. Isto é tudo o que não pode acontecer, pois o show de Truman não pode parar, o público quer saber o que vem e os patrocinadores precisam faturar. Quem dirige o espetáculo é o diretor Christof (Ed Harris), responsável por manipular o show para tornar tudo mais interessante. E ele sempre encontra uma forma de afastar Truman de suas desconfianças e explorações … isto é, quase sempre. Não se pretende aqui contar o final. Boa cena em que se percebe que o público – ou sua maior parte –, afinal de contas, é de seres humanos e torce pelo que é justo.

“Pode-se vislumbrar neste filme várias alegorias e uma das mais importantes é a do “sonho de vida”. Com forte apoio da mídia, a triste e falsa vida de Truman Burbank tem apenas o propósito de que milhões vejam como ele vive, sonhem em ter uma vida como a dele e desejem comprar os produtos e serviços que ele compra, permitindo que várias empresas lucrem. Outras alegorias possíveis ficam a cargo dos interessados. O Show de Truman é uma boa opção de lazer e reflexão, conforme dito.