Blog do Dr. André Mansur

Pequenas Causas

Escrito por Redação em 21 de junho de 2017

pequenas-causas

Mulher pede indenização na Justiça por ter casado com homem de pênis pequeno.

Fulana de Tal, 28 anos, auxiliar de serviços gerais, residente no município de Timbuctu, no Acre, decidiu processar seu ex-marido por uma questão até então inusitada na jurisprudência nacional.

Ela processa José das Couves de Tal, comerciante de 48 anos, por insignificância peniana. Isso mesmo! Segundo a autora da ação o instrumento sexual do marido seria de tamanho insuficiente para a prática de atos libidinosos, e incapaz de proporcionar-lhe qualquer sensação de prazer.

Embora seja inédito no Brasil, os processos por insignificância peniana, são bastante frequentes nos Estados Unidos e Canadá.

Esta moléstia é caracterizada por pênis que em estado de ereção não atingem oito centímetros. A literatura médica afirma que esta reduzida envergadura inibe drasticamente a libido feminina, interferindo de forma impactante na construção do desejo sexual.

O casal viveu por dois anos uma relação de namoro e noivado e durante este tempo não desenvolveu relacionamento sexual de nenhuma espécie em função da convicção religiosa do ora Réu na ação.
Fulana de Tal acusa seu marido de ter usado a motivação religiosa para esconder seu problema crônico.

Em depoimento a imprensa a denunciante disse que “se eu tivesse visto antes o tamanho do ‘problema’ eu jamais teria me casado”.

A legislação brasileira considera erro essencial sobre a pessoa do outro cônjuge quando existe a “ignorância, anterior ao casamento, de defeito físico irremediável, ou de moléstia grave”.

E justamente partindo desta premissa que a advogada pleiteia agora a anulação do casamento e uma indenização de R$ 200 mil pelos dois anos de namoro e 11 meses de casamento.

José das Couves, que agora ficou conhecido na região como Zezinho Anaconda, afirma que a repercussão do caso gerou graves prejuízos para sua honra e também quer reparação na justiça por ter tido sua intimidade revelada publicamente.

Em sua defesa, alega que seu pênis possui tamanho normal, e que a disfunção, na verdade, seria por conta de sua esposa, Fulana de Tal.

Segundo Zezinho Anaconda, digo, José das Couves, Fulana teria seu órgão sexual extremamente largo e deformado pelo que ele chamou de uso excessivo e promíscuo.

“É como colocar um carro de tamanho normal em um hangar de avião!”, declarou a uma emissora de rádio local.

E ainda atirou:

– Não tem como satisfazer aquela Maria Caçapa!

A tensão do caso agravou-se ainda mais quando a advogada de Fulana de Tal deu entrada no processo no
Juizado de Pequenas Causas, apesar do valor requerido na ação.

Aí também já é querer humilhar!!!

😂😂😂😜

De Brasília, Isa Joke


5 Comments

Deixe uma resposta